Na sexta-feira (19), a cota atingiu 14,55m. Nesta segunda-feira (22), após as chuvas do fim de semana, o nível do rio chegou a 14,78m. Cerca de mil famílias estão em áreas consideradas de risco, localizadas em diferentes bairros da capital de Rondônia.

O coordenador de Proteção e Defesa Civil de Porto Velho, Marcelo Santos, pede atenção da comunidade, mas afirma que não há motivo para pânico. “Quando o rio ultrapassa 15 metros, já começa a inundar algumas casas. Nós já temos quais são, quem são, quem tem mais objetos em relação a facilitar o trabalho de retirada com caminhões. Isso aí é trabalhar preventivamente”, disse Santos.

O estado de alerta em Porto Velho tem vigência de 90 dias e representa o reconhecimento, pelo Poder Público, de uma situação atípica e tem como objetivo mobilizar todos os órgãos e entidades da administração pública.

Em 2014, a capital rondoniense registrou a maior cheia da série histórica, com a cota do Rio Madeira em 19,74m. A expectativa para este ano é que a cota fique entre 16m e 17m. Em caso de inundação, para solicitar apoio, a população deve ligar para o número 199.

 

Coluna Ari Mota