Foto Divulgação

 

Numa audiência pública na Câmara Municipal de Manacapuru a Superintendência da Companhia Nacional de Abastecimento/AM (Conab) vai apresentar os programas desenvolvidos pelo órgão no Amazonas. A finalidade é atender demandas locais de suplementação alimentar de pessoa em situação de insegurança alimentar e nutricional e levar informações sobre os programas desenvolvidos pela Companhia. A superintendência regional esta visitando os municípios do Amazonas, para levar a informação sobre os programas desenvolvidos, para ampliar a área de atendimentos.

 

Segundo o Superintendente no Amazonas Serafim Taveira a instituição desenvolve programas que vão desde a compra de sementes, mudas e materiais propagativos para alimentação humana ou animal para doação a beneficiários consumidores (agricultores familiares), bem como a política de Garantia de Preços Mínimos da Sócio biodiversidade (PGPM-Bio). “Esse programa consiste no pagamento de valor caso o extrativista efetue a venda de seu produto por preço inferior ao preço mínimo fixado pelo Governo Federal”, declarou.

 

Atualmente política da companhia abrange ainda mais de 15 produtos extrativistas, que ajudam na conservação do meio ambiente. Dentre esses, destacam-se o Açaí, Andiroba, Borracha extrativa, Buriti, Cacau extrativo, Castanha do Brasil, Murumuru e Piaçava.

 

O gerente de operações do órgão Emanuel faria, que vai ministrar palestra em Manacapuru, disso que a CONAB atua também na execução das políticas públicas traçadas pelo Governo Federal. Participa da administração da logística de escoamento da safra nacional, da formação de estoques públicos e de sua comercialização, de acordo com a dinâmica de mercado. Sua atuação se dá por meio de diversas políticas e programas. “Na prática, isso significa comprar produtos agrícolas, formar estoques e vendê-los na hora certa para regularização do mercado consumidor”. Afirmou.

 

Nas economias em que a agricultura tem papel relevante, como, por exemplo, na agricultura familiar, existe a preocupação em estabelecer políticas de sustentação de renda para o setor.

Através das Superintendências Regionais, o governo conta com mecanismos para corrigir as distorções próprias da atividade. Isso ocorre ao se reduzir o excesso eventual de oferta, num período crítico para o produtor, ou devolver esse excedente ao mercado na entressafra, atenuando, assim, o impacto da elevação dos preços ao consumidor. Esse conjunto de ações que traduzem a prática da PGPM, é uma importante ferramenta para impulsionar a agricultura, além de regularizar o abastecimento alimentar do País.

 

A CONAB realiza ainda os Leilões de venda de estoques públicos e estratégicos de milho, arroz, café, feijão, sorgo, sisal, trigo e dos instrumentos de apoio à comercialização do Governo Federal da política agrícola Brasileira, tais como PEPRO – Prêmio de Escoamento pago ao Produtor Rural, PEP – Prêmio de Escoamento de Produto e de venda contratos de opção de venda, além de contratação de serviços de transportes (Frete) para remoções de produtos.

Programa Negócios News

Coluna Ari Mota

Facebook

Parceiros