Celebrado em 4 de fevereiro, o Dia Mundial do Câncer é organizado anualmente pela União Internacional de Controle do Câncer (UICC). 2018 marca o último ano da campanha com tema “Nós podemos. Eu posso”, que visa capacitar indivíduos e comunidades em todo o mundo para avançarem na luta contra o câncer.

Membro oficial da UICC no Brasil, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) promoverá ações para celebrar o dia em todo o País. A data também objetiva conscientizar sobre as milhões de pessoas que esbarram no acesso desigual à detecção, ao tratamento e aos serviços de cuidados.
 
Campanha digital 

A FEMAMA disponibiliza, em sua página no Facebook, um álbum com cartões especiais para serem enviados de uma pessoa para outra via mídia social, com mensagens de apoio para quem enfrenta a doença, e mensagens com dicas sobre como levar uma vida com menos riscos para o câncer para o público geral. Com as hashtags #RecadosContraoCâncer #NósPodemosEuPosso e #DiaMundialdoCâncer, o objetivo é disseminar o conteúdo da campanha e fomentar uma rede de suporte a pacientes e interessados no assunto. A FEMAMA também criou um tema alusivo ao Dia Mundial do Câncer para aplicar à foto de perfil no Facebook e um quiz para testar conhecimentos sobre câncer de mama.
 
Lutando pelos direitos das pacientes

Reforçando sua atuação na defesa dos direitos da mulher com câncer de mama, a Federação, por meio de suas ONGs, entregará, em 5 de fevereiro, ofícios para as Secretarias Municipais e Estaduais da Saúde, questionando a disponibilização do trastuzumabe no SUS para pacientes com câncer de mama metastático. Após Consulta Pública realizada ano passado, o Ministério da Saúde aprovou a inclusão do tratamento no SUS e, a partir de 29 de janeiro, estas pacientes têm o direito a acesso a essa alternativa terapêutica no sistema público de saúde.

O tratamento já é ofertado desde 2012 no SUS, mas apenas para pacientes com câncer de mama inicial e localmente avançado, ou seja, as que apresentam metástases (tumores que surgem em outros órgãos além da mama) não tinham até então acesso ao tratamento gratuitamente, apesar de terem indicação médico para uso e resultados expressivos comprovados por pesquisas.
 
Discutindo políticas públicas no legislativo

Também em 5 de fevereiro, ONGs associadas da FEMAMA convocarão deputados estaduais solicitando a realização de audiências públicas em seus estados, nas quais debaterão a adoção da notificação compulsória do câncer e a aprovação de projeto de lei que determina o prazo máximo de 30 dias para a realização de diagnóstico oncológico.

 “O Dia Mundial do Câncer ajuda a incluir o câncer na pauta do governo, o que é extremamente importante para as instituições dedicadas à luta contra o câncer, como a FEMAMA, sejam ouvidas. É uma oportunidade para aumentar o debate sobre o impacto do controle do câncer e melhorar o acesso ao diagnóstico e ao tratamento para milhares de pacientes”, atesta a mastologista Maira Caleffi, presidente voluntária da FEMAMA.
 
Ações pelo Brasil

A mobilização pelo Dia Mundial do Câncer também acontecerá por meio da iluminação de diversos monumentos ao redor do Brasil nas cores azul escuro e laranja, associadas à data. O Congresso Nacional, em Brasília/DF, a Ponte do Guaíba e os Estádios Beira-Rio e Arena do Grêmio, em Porto Alegre/RS, o Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo, em São Miguel das Missões/RS, e a Praça de Eventos de São João do Piauí (PI), são alguns exemplos.

Muitas instituições associadas à FEMAMA realizam em suas regiões programações próprias para marcar a data, como uma corrida de visa promover a saúde em Fortaleza (CE), ações de conscientização na praça de São João do Piauí (PI), em Imbé (RS) e no restante do litoral norte gaúcho e em Curitiba (PR).
 
Sobre o Dia Mundial do Câncer

O dia 4 de fevereiro é marcado pela conscientização a respeito da doença que mata anualmente 8,8 milhões de pessoas ao redor do mundo. Para reverter esse cenário, desde 2008, a União Internacional de Controle do Câncer (UICC) convoca, em 4 de fevereiro, campanhas globais de conscientização sobre o câncer cujo objetivo é, até 2020, alcançar uma redução do número de pacientes de câncer que perdem a vida por falta de informação e acesso a diagnóstico ou tratamento adequados.
 
Sobre a FEMAMA
A Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama é uma organização sem fins econômicos que trabalha para reduzir os índices de mortalidade por câncer de mama em todo o Brasil, influenciando políticas públicas para defender direitos de pacientes, ao lado de 72 ONGs de apoio a pacientes associadas em todo o país. A FEMAMA foi a primeira instituição a trazer o Outubro Rosa de forma organizada para o Brasil, em 2008, com ações em diversas cidades, em parceria com ONGs associadas.

Coluna Ari Mota

Facebook