Foto Divulgação

 

Banda do Galo desfigurada

Criada por pernambucanos radicados em Manaus, com a finalidade de matar a saudade do Carnaval de Olinda (PE), a Banda do Galo criou sem duvida muito fãs e seguidores. Inicialmente com uma concentração  pelo Dom Pedro, arrastava multidões. Depois foi perdendo a essência e se transferiu para a Av. das Torres, ali já cercada e com um estilo musical completamente diferente, a banda adotou o “Forró” e o “Axe” ao ritmo do frevo.

Agora seus organizadores avisam que a Banda do Galo será no sambódromo e com quatro estilos musicais. Forró, Funk, Axé e suingueira. Ai eu pergunto “o Frevo desapareceu da programação e o objetivo da criação da Banda pelos pernambucanos foi pelo Ralo?”.

Nacional perde na estreia e deixa torcida desconfiada em relação à Copa do Brasil

Um dos maiores orçamentos do futebol amazonense, não foi suficiente para uma boa estreia no campeonato Baré e o Nacional acabou derrotado em Manaus na abertura do Amazonense Série A, no estádio Carlos Zamith.

O Manaus FC levou a melhor sobre o tradicional Nacional, e venceu por 1 a 0. O gol do Gavião do Norte foi marcado por Hamilton, logo aos 4´do primeiro tempo.  Apesar do tempo o Nacional não conseguiu reagir. A derrota deixa a torcida azulina preocupada, pois o clube estreia na Copa do Brasil dia seis de fevereiro contra a Ponte Preta paulista em um único jogo, onde só a vitória interessa ao clube amazonense, pois o empate classifica de acordo com as novas regras da competição, o clube visitante.

 

Futebol mau das pernas mesmo

Por outro lado o Princesa do Solimões conseguiu perder de 3 a 2 neste domingo (21) no estádio General Sampaio, em Porto Nacional, para o Interporto de Tocantins O jogo foi válido pela ida da fase preliminar da Copa Verde. Com o triunfo, o Tigre precisa apenas de um empate no jogo de volta em Manacapuru (AM) na quarta- feira (24). Quem passar encara o Paysandu na primeira fase da competição. Melhor ficar por aqui mesmo.

 

Repórter da Band Amazonas é insultada e ameaçada em Caapiranga pelo vereador Silas Ruiz e seus capangas

A repórter Renata Maquiné, apresentadora do programa Sabino & Reizo Castelo Branco, exibido na Band Amazonas, foi agredida na tarde de sábado, 20, com palavras ofensivas, difamatórias e injuriosas e ameaçada pelo vereador Silas Pereira Ruiz (PP), em Caapiranga, onde se encontrava para a cobertura dos festejos de São Sebastião.

Cercado de capachos abordou a repórter na saída de um posto de combustível e, em tom ameaçador, o vereador disse: “Se algo fosse publicado contra ele você vai pagar caro, vou te encontrar onde você estiver”.

O vereador que é defensor do prefeito cassado recentemente pela quarta vez na atual legislatura, Antônio Ferreira Pongó. Silas Pereira Ruiz não só tentou impedir a repórter de exercer o livre exercício de suas atividades profissionais, garantido pela Constituição Brasileira, mas também fez ameaças claras de caçar a repórter onde estivesse. Como nos velhos tempos de ditadura. O sindicato dos Jornalistas profissionais do Amazonas já tomou conhecimento e vai acionar na justiça o famigerado vereador.

 

Em Coari a farra é hereditária

O prefeito de Coari, Adail Filho, fechou um contrato milionário de R$ 10 milhões com duas empresas de eventos. “Filho de Peixe, Peixinho é”, para facilitar a vida e burlar as fiscalizações “Adailzinho” conseguiu dar um “Cala Boca”, para os todos os 15 vereadores do parlamento daquela cidade.  O projeto foi aprovado a “toque de caixa”, sem embaraços para o prefeito.

A Câmara de Coari, é presidida pelo vereador Keyton Pinheiro, primo do prefeito Adail Filho. As empresas são : 

NP Produções Shows e Eventos Ltda, CNPJ 12.696.123/0001-98 e Arsenal Serviços de Produções de Eventos Ltda, CNPJ  14.379.922/0001-66 vão disponibilizar durante 12 meses a sonorização, iluminação, palco, banheiro químico e demais estrutura necessária para a realização de eventos para atender as necessidades da Prefeitura de Coari.

Coluna Ari Mota

Facebook