251266541261

 

Fontes ligadas ao ex-deputado federal Sabino Castelo Branco (PTB) dão conta de que tem mantido contato com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB), e se colocando a disposição para gerir algum órgão federal no Estado. Sabino estaria de olho na Eletrobras Amazonas Energia. Por outro lado, apesar de ter sido aliado de Eduardo Braga na disputa eleitoral ano passado, onde ambos saíram derrotados. A nomeação de Sabino a gestor público pode gerar uma série de críticas da imprensa local em função da falta de experiência do ex-deputado, cuja profissão antes de entrar na política era de investigador da Polícia Civil.

 

Por falar em energia Brasil doa térmica à Bolivia

A usina térmica Rio Madeira pertence à Eletronorte, uma das empresas do grupo Eletrobras. Inaugurada em 1989, ela foi uma das responsáveis por abastecer os estados de Rondônia e Acre por 20 anos. Com potência de 90 megawatts, o empreendimento fica em Porto Velho (RO) e é capaz de fornecer energia para uma cidade de 700 mil habitantes. A usina precisa passar por uma "recauchutagem geral" para entrar novamente em operação. Ela vai ser convertida para gás natural e doada a Bolívia. Como é bom o nosso Governo. A reforma custará R$ 60 milhões. O dinheiro já foi transferido pelo governo para a Eletronorte, responsável pela reforma. Uma usina térmica nova, com capacidade de 100 MW, custa hoje em torno de R$ 100 milhões.

 Fantástico mostra denuncia fraca

 

A exemplo das denuncias contra o Governador José Melo, a matéria veiculada no domingo a respeito do ex-prefeito Adail Pinheiro acusado de oferecer suborno e ameaçar de morte as testemunhas, de dentro da cadeia, me pareceu armação. O valor seria de R$ 100 mil para cada aceitava o dinheiro ou ia começar a morrer alguém da família, contaram as vítimas ao repórter. Adail é acusado de comandar uma rede de pedofilia em Coari.

 

Vamos aos fatos

 

Não sou aqui advogado de ninguém e muito menos simpatizante do ex-prefeito Adail, porém a matéria mostra as meninas do interior falando palavras que são usadas tecnicamente, por advogados, juízes e policiais, como por exemplo, “Eu fui Coagida”.

A gravação da suposta advogada, não tem prova. O acesso ao apartamento onde as vitimas ficariam ou estariam hospedadas. Mais uma “Barrigada” da TV Globo, que insiste em tentar desmoralizar o TJAM.

 

O alvo era outro

 

Além de tentar desmoralizar a Justiça do Amazonas a Globo tem outro objetivo, parar o avanço politico de “Adailzinho” em Coari. Virtual candidato a prefeito, ele tem uma vasta aceitação popular na cidade. “Adailzinho” é o filho do ex-prefeito, acusado na reportagem de ser o mentor das ameaças às testemunhas.

 

 

Coluna Ari Mota

Facebook

Parceiros