instagram

Entre as novidades está o fato de que as informações dos usuários da rede social de fotos serão compartilhadas com o Facebook - que comprou a start-up por US$ 1 bilhão em abril.

O anúncio reforça que os usuários ainda poderão escolher quem vê as fotos, e ainda detêm os direitos autorais das imagens. Também foi mantida a opção de não publicar os posts no Facebook.

O Facebook passará a ter acesso a informações "que incluem, mas não se limitam a, cookies, logs, identificação de dispositivos, localização e dados de uso". O nome do Facebook não aparece nos termos, mas na nota do Instagram o "afiliado" a que o documento oficial se refere é explicitamente citado como o Facebook.

Segundo o post no blog oficial do Instagram, as mudanças visam "combater spams mais efetivamente, detectar problemas de sistema e de confiabilidade mais rapidamente e construir melhores ferramentas". Nos termos da nova política de privacidade a descrição afirma que os dados vão "ajudar a prover, entender e melhorar o serviço" do Instagram, bem como "os serviços dos afiliados" - ou seja, do Facebook.

Outro destaque das mudanças é que o Facebook, assim como já podia fazer o Instagram, agora tem o poder de transmitir dados sobre o usuário entre fronteiras nacionais. A alteração está na seção de "armazenamento de informações" do novo termo de serviço.

O Instagram continua com uma operação independente do Facebook, mas o compartilhamento das informações entre as redes sociais já era esperado por especialistas. "O Facebook é uma empresa que vive e respira dados de usuários, e com o Instagram debaixo da asa é claro que vai querer os dados desses usuários (da rede social de fotos) também", resume o Mashable.

A nova política de privacidade e novo termo de serviço passam a valer a partir de 16 de janeiro de 2013.

Coluna Ari Mota

Facebook